Um dia simples e feliz...

Aqui estamos, com 26 semanas de gravidez... a barriga está enorme, os desconfortos estão aumentando... mas também cresce - e como cresce! - o nosso amor! Não só por ela, mas um pelo outro. É impressionante como a gravidez me deixou mais apaixonada pelo meu marido... mais apegada, mais ligada mesmo. E ele ficou ainda mais carinhoso, dedicado e paciente comigo... E não, minha gravidez não está sendo fácil, assim como sei que quando ela nascer não será fácil também... mas sei que nós iremos conseguir! Pois estamos juntos.
Ontem o marido foi pintar o quartinho da Clarissa, eu fiquei dando apoio moral e arrumando a casa... fiz um almoço super salgado pra gente, mas ele comeu e repetiu! Sorrimos, brincamos e sonhamos com nossa pequenina... estava um dia super frio, um dos mais frios desse ano, e nós passamos o dia trabalhando, mas terminamos ele abraçados no sofá... eu tomando chocolate quente e ele sorvete. E não sei como ele consegue estar sempre quentinho, mesmo tomando sorvete num frio de 9 graus.
Foi um dia simples, um tanto cansativo, porém muito, mas muito feliz. Feliz por nós estarmos juntos, feliz por agora sermos três (ou 6, contando nossa Ohana!), feliz por meu marido estar pintando uma parede pela primeira vez na vida, por ser a parede do quarto da filha dele, feliz por a filha dele ser minha também...
Como minha gravidez está sendo bem difícil, eu passo vários dias ruins, choro, reclamo, peço a Deus para o tempo passar voando e outubro chegar logo, passo mal, morro de fraqueza, me sinto uma porca gorda que engoliu um dragão de tanta azia que sinto! Algumas amigas até já disseram que eu as traumatizei, tamanha minha agonia... mas graças a Deus, à vida, ao meu marido e um pouco à força que tenho dentro de mim, eu consigo ver o tamanho da graça que é estar gerando uma vida... consigo me alegrar com isso e sorrir de pequenas bobagens... consigo curtir dias simples e felizes como o de ontem. E acreditar que outros dias assim virão. Muitos deles.
Antes de engravidar, eu planejava muitas coisas, entre elas, malhar até a hora de parir, tirar uma foto toda semana na mesma posição e com a mesma roupa, fazer um quarto montessoriano, um chá de fraldas cheio de frescurites lindas, comer tudo absolutamente saudável e orgânico... e hoje, aos quase sete meses de gravidez, quanta coisa mudou! As prioridades mudam, as possibilidades mudam, meu corpo e minha cabeça mudam. Acaba que só fica o que realmente é seu, sem expectativas... e dá medo, mas também dá paz.
Esse post está meio sem pé nem cabeça, né?! É que hoje eu estou assim... mais reflexiva, meio avoada, muito pensativa... e também feliz.

"Enquanto for... um berço meu
Enquanto for... um terço meu
Serás vida... bem vinda
Serás viva... bem viva
Em mim."

(Ouçam essa música... é linda! E é uma das músicas da minha gravidez)

Barriga de 26 semanas!
Papai pintor!
Marido lindo e quentinho...
Nada orgânico e saudável.

Um beijo,
Lud


Resumão até os dias atuais

Oi meninas! Voltei! Que bom que vocês também gostaram mais de Clarissa do que de Brisa... realmente é bem mais lindo! Sou suspeita, claro, mas até hoje todo mundo que pergunta o nome da nossa filhota acha lindo! E como quando eu falava que seria "Brisa" ninguém achava lindo, sei que as pessoas estão sendo sinceras, kkkkk!
Hoje vou fazer um resumão da minha gravidez até a semana atual! Estamos agora com 25 semanas e 5 dias... isso equivale a mais ou menos 6 meses de gestação. Ahhh, falando nisso, fiquei de explicar pra vocês que descobri que na verdade os bebês nascem de 10 meses, né? Então, é que assim... quando engravidei descobri que não contamos a gestação em meses e sim em SEMANAS. Uma gestação normal pode durar até 40 ou 42 semanas. Mas se você for contar em meses, 42 semanas dá 10,5 meses! Isso aí, dez meses e meio! Isso acontece porque a data usada pra contar as semanas é a data da última menstruação (DUM)... só que no dia que sua menstruação veio pela última vez você ainda não está grávida, certo? Sim, mas mesmo assim a conta é essa... então resumindo, pra ginecologia e obstetrícia nós passamos 10 meses grávidas! Então melhor contar em semanas mesmo... pra não confundir, kkkkk!
Mas voltando ao resumão, depois que os enjoos passaram e o descolamento sarou, eu pude aproveitar de novo um pouco da gravidez... voltei a malhar, comecei a fazer hidroginástica. E isso foi muito bom!
Mas olha, sou muito sincera com vocês, estar grávida, pra mim, não está sendo muito legal não! Não minha filha, claro, tê-la aqui dentro de mim é maravilhoso! Mas a gravidez em si não é muito bom não... é estranho ver meu corpo mudando, os seios ficando enormes, os quadris alargando... é azia, é dor nas costas, é gripe, é infecção urinária, é anemia, é falta de posição pra dormir... aff, cada dia é uma coisa nova! E eu estou me achando muuuuuuuuito feia grávida, gorda, inchada, redonda... já chorei um monte na hora de me vestir e ficar exatamente assim:
Essa sou eu!
É difícil achar uma roupa que fique razoável... as minhas já não me servem mais... toda vez que vou me vestir lembro do Nando Reis cantando "eu não caibo mais nas roupas que eu cabia"... Não é fácil, não mesmo!
Mas cada mexidinha dela - e ela agora mexe muito! - cada vez que ouço o coraçãozinho dela, que a vejo na ultra, que a sinto crescendo dentro de mim... cada vez que imagino o rostinho dela e sei que ela está aqui dentro de mim, isso compensa tudo! Todo o mal estar e o sofrimento! Aquela velha história de "padecer no paraíso" é super verdade! 
Fora isso, já estamos montando o quartinho, mandamos fazer os armários e falta comprar o berço, depois falo especificamente sobre isso!
Iremos fazer o chá de fraldas em agosto, estou planejando o parto normal, o marido está cada vez mais babão e eu mais apaixonada por ele! Aliás, eu acreditava que o amava muito, mas depois que engravidei passei a amar mais ainda!!! Como pode? Qualquer segundo longe dele é muito... e Clarissa pelo jeito sente o mesmo, pois quando ele chega ela mexe muuuito! Ele chama, coloca a mão na barriga e ela mexe na hora, é engraçado!
Mas chega de falar e vamos às fotos pra vocês acompanharem o crescimento da barriga!
14 semanas!

15 semanas



18 semanas

18 semanas

19 semanas

20 semanas! E teve copa! E apesar de tudo foi linda!

21 semanas

21 semanas


22 semanas

24 semanas

23 semanas

25 semanas

25 semanas

Nariz gigante e bochechas enormes... =(
Está meio fora de ordem, mas vale o registro!
Por hoje é só! Depois eu volto com mais novidades... ainda tenho que contar sobre:
* O enxoval
* O quartinho
* Os desejos
* Os preparativos para o chá de fraldas
* Algumas reflexões sobre a gravidez e sobre ser mãe
Já que vocês estão gostando desses assuntos gravidícios, vou continuar, rsrsrs!

Beijo da gorda,
Lud


A escolha do nome


Oi meninas! Como vocês já sabem, nossa filhota vai se chamar Clarissa! E nesse post aqui eu já tinha contado pra vocês que Clarissa e Angelina haviam sido os nomes que eu e o marido gostamos juntos, ainda antes de eu engravidar.
E também havia falado pra vocês que estava deixando os nomes previamente registrados pois quando eu estivesse grávida e descontrolada o meu lado hippie poderia voltar e eu ia querer chamar minha filha de Caliandra ou Cidreira. E não é que isso aconteceu? kkkkk! Não foi Caliandra nem Cidreira... mas eu quis muuuuuito que nossa neném se chamasse BRISA. Queria muiiiiiiito mesmo! Já até conversava com ela a chamando de Brisa. Eu continuava achando Clarissa lindo... mas queria Brisa. O marido odiou, não quis concordar de jeito nenhum... eu fiz chantagem, drama, birra... mas ele continuou irredutível. Ele disse que a menina ia sofrer bullying na escola e que se ela fizesse algo errado ele nunca ia poder mandar parar... senão ia ter que falar "para-brisa"... Aliás não foi só ele que não gostou... com exceção da minha irmã, ninguém gostou de Brisa... mas mesmo assim eu estava decidida a lutar bravamente e colocar o nome dela de BRISA e ponto final. Ora bolas, a gente carrega uma criança nove meses na barriga (na verdade são dez meses), sofre enjoos, cólicas, cresce os peitos que nem uma vaca, tem estrias... e não pode nem escolher o nome da criatura??? Eu estava decidida a lutar por Brisa até o fim, e em último caso parir sozinha no mato e já voltar com ela registrada só no meu nome. E não, não é exagero, kkkkk! Grávidas levam tudo ao extremo mesmo!
Maaaaas... se hoje ela se chama Clarissa, quer dizer que algo me fez mudar de ideia... e o que foi? Foram os maconheiros! Pois é! Não sei em outros estados... mas aqui no DF "os manos" falam muito em "curtir a brisa", "brisar"... para se referirem à viagem da droga... eu descobri isso falando com meus alunos adolescentes. E eu, que sempre fui hippie sim, porém careta e certinha, não quis mais chamar minha filha com um nome que é gíria de drogas... desisti de Brisa, para alegria do marido e felicidade geral da nação... e voltei logo para o lindo e delicado CLARISSA... escolhido por causa de Santa Clara e São Francisco... dois santos que admiro muito por suas histórias de vida.
E agora pra mim ela só tem cara de Clarissa... estou apaixonada por esse nome!
E ela tem que ter um segundo nome em japonês, por causa da tradição do marido... e esse eu deixei ele escolher! Ele não quis mais Sayuri nem Hiromi... escolheu um que eu não conhecia, mas que adorei: YUMI, que significa "cheia de beleza". E assim, nossa menininha se chamará CLARISSA YUMI!
Por hoje é só... e hoje o post está sem fotos... mas no próximo prometo colocar várias! Vou fazer um resumão da gravidez até os dias atuais... e mostrar pra vocês como nós estamos!
Um beijo
Lud

Quem vem aí?

Oi meninas lindas! Vamos ao assunto de hoje???
Nós descobrimos quem é o pequeno ser que habita esse meu grande bucho bem cedo... com 9 semanas de gestação e ainda na fase terrível dos enjoos... Descobrimos cedo assim pois fizemos um exame de sexagem fetal, que é um exame de sangue que analisa o DNA... explicando de forma didática: mulheres são XX, homens são XY. Durante um período da gestação o sangue do baby e o da mãe se misturam. Se for um menino, o sangue da mãe terá alguns Y passeando... assim, esse exame mostra com precisão se o bebê é do sexo feminino ou masculino.
Esse teste é optativo e caro... eu não me importava em esperar mais pra saber, mas nós fizemos porque já estávamos com uma viagem marcada, desde o ano passado, para os EUA. E quando descobrimos a gravidez, resolvemos fazer o enxoval lá... pois as coisas são bem mais baratas que aqui. Sendo assim, fizemos esse exame... mas como eu estava na fase das trevas de enjoo, nem tive forças e ânimo pra fazer algo divertido e diferente na hora de descobrir e de anunciar o sexo... vi o resultado na internet e liguei pro marido pra contar, simples e sem graça assim, kkkkk!
E antes de contar quem vem aí, sempre que me perguntavam se eu achava que era menino ou menina eu sempre respondia a mesma coisa: "Eu quero que seja menina, mas acho que é menino". E assim eu sentia... eu sempre quis uma menina... mas tinha certeza que era menino! Gente, eu não sei porque cargas d'água eu tinha certeza que era menino, mesmo querendo muito uma menina! E sobre isso só posso dizer que meu instinto materno é zero, kkkkk! Minha certeza estava toda errada e eu estou esperando uma MENINA!!! Fiquei muito feliz e surpresa com o resultado! E zoando de mim mesma porque comigo não teve aquela história de que "a mãe sente"... eu senti foi tudo errado!
Quem está aqui é uma linda menina, que vou encher de laços, fazer rabos de cavalo, tranças... que vai ter bonecas, maquiagens, esmaltes... que vai brincar com meus saltos e vestidos... mas que também vai poder fazer judô se quiser, vai jogar bola, brincar de carrinho, soltar pipa e brincar de lutinha com o pai... pois quero criar uma menina livre, tranquila, delicada e forte... que ela saiba que pode ser o que quiser, que não precisa de príncipe encantado nenhum para ser feliz, que ela pode ser feliz sozinha e também pode escolher caminhar ao lado de um príncipe que a ame e respeite, como eu e o pai dela. Espero que ela cresça num mundo menos machista, menos injusto e menos cruel com as mulheres... e pra isso farei a minha parte desde cedo... E se eu já era feminista antes, imaginem agora que somos duas?
Vem aí nossa menininha... nossa CLARISSA!



Um beijo, 
Lud e Clarissa

Decoração simples para festa - Alícia 15 anos

Oi meninas!!! Pra dar uma folguinha pra vocês, hoje não vou falar sobre a minha gravidez... hoje eu vou mostrar a festinha de 15 anos da Alícia, minha prima-daminha-princesa! Já falei da Alícia pra vocês, né? Ela é meu xodó, sou muito apegada a ela, grudada mesmo! Tanto que meu marido já a "adotou". Nós dois, o Gu - filho dele - e a Alícia - minha "filha" somos a nossa OHANA! 
E a Alícia completou 15 anos em fevereiro (post hiper atrasado por causa dos enjoos!)
Ela não quis festa, preferiu viajar... mas nunca que eu poderia deixar esse dia passar em branco, né? Resolvi fazer uma festinha pra ela. Teve que ser tudo muito simples, pois a prioridade financeira foi a viagem, meu presente pra ela. Mas mesmo com pouquíssimo dinheiro, fiz a festinha dela e ficou linda! Tudo feito por mim e pela minha amiga Polly, que sempre me ajuda em tudo!
Querem ver a festinha dela? Vamos lá:
 O bolo foi o preferido dela, bolo de cenoura! Coloquei cobertura de chocolate e enfeitei com batom branco, que ela adora!

Algumas guloseimas que todo mundo adora! E uma pausa pra falar da arte mais linda feita pela fofa da Suellen! Quem tem amigas blogueiras tem tudoooo! Muito obrigada, Su!

Uma vista geral da mesa!
Como disse, nós fizemos tudo. Pompons de papel de seda, letras de papelão cobertas com tecido, arranjinhos de flores... as forminhas foram sobras do casamento da minha irmã, e os vasinhos eu já tinha!

Essas letras de papelão dão trabalho, mas ficam lindas!



E aqui a aniversariante! Ah, a festa foi surpresa! Ela realmente não esperava, e ficou muito feliz!

E aqui, a Amanda (irmã da Alícia e esperando a Mel), eu, Alícia, Juci (mãe da Alícia), Lory (minha irmã) e Juju! E também o Rogerinho olhando a mulherada!
Esqueci de tirar fotos, mas pra comer, além do bolo e doces, servimos um cachorro quente bem caprichado! Foram ao todo umas trinta pessoas, a metade eram adolescentes, amigos dela, que adoraram o "cardápio" fast food!
E foi assim os 15 anos da minha princesa... uma festinha simples, porém cheia de alegria e amor!

Beijoooos
Lud
Por hoje é

O descolamento do saco gestacional

Oooooi, meninas! Voltamos, em clima de copa do mundo! Eu gosto muito da copa, roubalheiras e problemas à parte, vamos aproveitar o clima de alegria e torcer pelo Brasil! E hoje também é dia dos namorados... nós já comemoramos adiantados, no dia 10! Depois mostro fotos! Mas, como já estou muito atrasada nos posts... vamos continuar o assunto!
 Então... como eu disse pra vocês no último post, nada é tão ruim que não possa piorar... e piorou!
No meio dessa fase de enjoos eu fui fazer um ultrassom e descobri que estava com um probleminha... um descolamento no saco gestacional. O saquinho que aloja o bebê deveria estar todo fixado no útero, mas no meu caso não estava... uma parte estava descolada. A médica que fez minha ultra foi curta e grossa. "Isso representa risco de aborto. Vá com urgência ao ginecologista".
Aborto. Acho que não existe palavra pior pra uma grávida ouvir... ainda mais uma grávida que estava frágil e triste como eu já estava devido aos enjoos.
E eu havia ido sozinha a essa ultra. Meu marido é muito presente em tudo da gravidez... mas nem sempre é possível ele me acompanhar... e nesse dia eu estava só.
Sai da ultra e já fui correndo pra emergência da ginecologista, parando só pra vomitar no meio caminho... 
O médico me acalmou um pouco, mas confirmou o que a ultrassonografista disse. Esse descolamento, que é uma espécie de hematoma, poderia ser absolvido e a gravidez seguir sem problemas, ou poderia evoluir pra um aborto.
Disse que eu deveria fazer repouso absoluto, e usar uma medicação chamada ultrogestan duas vezes ao dia.
Sai do hospital chorando e assustada... liguei pro marido e tentei explicar tudo, mas só conseguia chorar. Também falei pra minha mãe e na mesma hora ela disse que iria lá pra casa pra ficar comigo e que eu iria fazer esse repouso direitinho!
Minha mãe também me abriu os olhos pra algo que eu não havia pensado. Graças aos enjoos eu já estava mais quieta, de licença do trabalho, fazendo um certo repouso. Se não fosse por isso eu estaria fazendo boxe, malhando, dando várias aulas por dia, todas de pé, faxinando a casa... e isso poderia ter prejudicado muito esse descolamento, o pior poderia ter acontecido. Mas por causa do enjoo eu acabei me poupando.
Nessa hora eu até agradeci a Deus pelos enjoos! Deus realmente faz tudo certo...
E assim eu fiquei mais três ou quatro semanas, passando o dia deitada, só levantava pra ir ao banheiro. Os enjoos continuavam, o que tornava tudo mais difícil.
Mas graças a Deus eu tive muito apoio, minha mãe, o marido, minhas amigas... todo mundo empenhado em cuidar da gente. Nunca vou poder agradecer, principalmente a minha mãe, por tudo.
Vocês sabem tudo que nós já passamos, e esse período foi um período de muita cura, pra nós duas. Depois farei um post só sobre isso. Senão já começo a chorar agora!
E nesse período, outra coisa terrível aconteceu... o pai do meu esposo faleceu... foi de repente, do nada! Ele era idoso, porém saudável e mais ativo que muitos jovens! Não tinha nenhum problema de saúde, trabalhava, acordava cedo todos os dias... e assim foi até no dia em que ele se foi. Em um domingo ele acordou cedo, trabalhou, buscou almoço pra família, brincou com os netos, encheu um pote de sorvete e foi pro quarto ver TV. De lá ele saiu morto. Teve um infarto.
Foi um baque para todos nós, principalmente para o meu esposo... ele ficou numa tristeza tão grande... e ainda preocupado comigo naquele estado. Foi muito difícil, meninas... fico triste em pensar que meu neném não irá conhecer e conviver com o melhor avô que ele poderia ter. Mas Deus sabe o que faz... eu creio que ainda que a gente não entenda hoje, ele sempre faz o melhor por todos nós.
No próximo post eu conto pra vocês como nós descobrimos o sexo do bebê e também mais sobre o descolamento e sobre uma viagem que fizemos!

Um beijo nosso,
Lud e bebê

Fase de enjoos: período das trevas!

Dessa fase não tenho fotos, nem lembranças boas... o título do post parece forte e exagerado, mas acreditem, não é!
Se você ainda quer ser mãe biológica sugiro que pare esse post por aqui, ou corre sérios riscos de ficar traumatizada pelo resto da vida e desistir de querer engravidar. E também aviso que a palavra que você mais vai ler nesse post é VÔMITO e seus derivados.
Sério mesmo! Estou avisando, hein?
Pronto, aviso dado, vamos lá.
Minha fase de enjoo começou com 6 semanas mais ou menos (eu descobri a gravidez com 3!)... e já chegou chegando de um jeito que eu mal pude entender o que estava acontecendo! Num dia eu era um ser humano normal, no outro eu era um zumbi. 
Gente, eu passei a vomitar o tempo todo! Vomitava 8, 10, 12 vezes por DIA! Você leu bem, por DIA! Nada do que eu comia, NADA mesmo, parava no meu estômago! Nem água! Você já deve ter vomitado alguma vez na sua vida e sabe que vômito é aquela coisa quente e nojenta que sai garganta a fora. Pois bem, no meu caso, eu cheguei a vomitar gelado! Isso porque se eu bebia água fria, tomava um suco, um picolé, era o tempo de bater no estômago e sair de volta, numa rapidez tão grande que ainda saia gelado. Juro pra vocês.
Eu tentei tudo que os médicos, a família, os amigos, outras grávidas, a velhinha benzedeira, o padre, as pessoas da rua... falavam. TUDO! Tomei remédio, tentei bolacha água e sal, coca-cola sem gás, frutas cítricas, chupar gelo, caldo de polvilho, batata cozida sem sal, coisas secas, frutas desidratadas, mais remédio, gengibre, comer de duas em duas horas... gente, tudo que me falavam pra fazer eu fazia, e nada, NADA melhorava! 
Eu vomitava o tempo todo, tudo que eu comia ou não comia. Porque mesmo quando não tinha mais nem vestígio de algo comestível no meu estômago eu vomitava. Vomitava por cheiros, por gostos, e , pasmem, por pensamentos! Uma das coisas que mais enjoei foram os comprimidos, o que piorava muito a tentativa de tomar remédios para enjoo. Eu tomava e vomitava logo em seguida, saia inteiro ainda. Depois piorou e eu tentava tomar, ele entalava e eu vomitava. Depois, eu pegava o comprimido pra tomar e só de olhar pra ele eu vomitava. Por fim, eu pensava em tomar, só PENSAVA, e já vomitava! Nunca imaginei algo assim. Mas só de ouvir a palavra comprimido eu vomitava, só de pensar que eles existiam eu vomitava. 
E com o passar das semanas isso foi só piorando... tive que pegar licença no trabalho, perdi peso, fiquei pálida, feia, com olheiras, parei de fazer qualquer atividade física, vivia fraca, com a pressão baixa, desmaiando... vivia deitada e até banho eu tomava sentada pra não cair! Meninas, como eu queria que isso tudo fosse exagero da minha parte, como eu queria não ter passado por nada disso. Mas o que estou relatando aqui é só um resumo do que passei. Vivia no pronto socorro, desidratada, tomando soro na veia e remédio pra enjoo na veia também. Passei raspando de ser internada (se em casa já era ruim, imagine no hospital?) Fiquei triste, sem graça, apática... até esqueci que tudo isso tinha um motivo muito bom, meu bebê. Eu não conseguia nem pensar no bebê que viria, tamanha era a agonia e o sofrimento.
Li uma vez que o Renato Russo parou de tomar o coquetel contra a AIDS porque quando ele tomava "parecia que eu havia comido um cachorro vivo e o cachorro me comia por dentro". Taí, ele descreveu minha sensação. E antes de me comer por dentro o cachorro arrastava as unhas na minha carne e soltava um bafo fedido dentro de mim. Bem assim. E repito, não é exagero.
Meu marido disse que o neném era o filho do vampiro do Crepúsculo... e era assim que eu estava...

Esse período dos enjoos, que duraram dessas 6 semanas até o começo de maio foram o grande motivo de eu ter me afastado do blog... eu não tinha ânimo pra nada, nem para fazer coisas que sempre gostei, como escrever no blog. Só sabia vomitar e chorar de desespero por estar vomitando o tempo todo.
Aí, como nada é tão ruim que não possa piorar... veio algo pra piorar...
Mas isso eu conto no próximo post! 

Por hoje é só...
Um beijo, 
Lud e Neném